Uma vida dedicada à educação: Luiza Aparecida Teixeira Costa

É com pesar que a ADUnB - Seção Sindical do ANDES-SN comunica o falecimento, nesta terça-feira, 6 de dezembro, da professora aposentada da Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade de Brasília, Luiza Aparecida Teixeira Costa, aos 83 anos. 

A professora Luiza Aparecida sempre foi atuante e esteve filiada à ADUnB-S.Sind desde os anos 1980, reconhecida pelo comprometimento com a educação e promoção da saúde. Sua partida, deixa um vazio de tristeza, mas um legado de contribuição para a UnB e para a população do Distrito Federal.

Luiza Aparecida Teixeira foi professora na Escola de Enfermagem Anna Nery na Universidade Federal do Rio de Janeiro, assessora do Ministério da Educação e professora do Departamento de Enfermagem, da Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade de Brasília, ministrando as disciplinas Saúde da Comunidade II e Administração em Enfermagem. Atuou no Hospital Universitário de Brasília, junto ao então Departamento de Recursos Humanos. 

“A Luiza ensinava com a vida e decifrava caminhos pedagógicos para dialogar com a comunidade pela educação popular. Era uma extensionista de primeira e educadora comprometida com os pilares da promoção da saúde pelo empoderamento das lideranças e movimentos sociais. Deixou um legado  para nosso Departamento de Enfermagem e nossa universidade”, destaca a professora associada do Departamento de Enfermagem da UnB, Leides Moura.

Em 1996, Luiza Aparecida coordenou um projeto interinstitucional e comunitário na UnB, no curso de Enfermagem, denominado “Unidade Integrada de Aprendizagem Acadêmica: adolescência”. Em um artigo publicado no mesmo ano, escrito por ela com mais três docentes, reafirmava a importância da integração da Universidade com a Comunidade  e que essa articulação era “um marco histórico do Departamento de Enfermagem da Universidade de Brasília no propósito de formar profissionais de saúde mais conscientes da realidade do contexto de saúde”, diziam ainda que a essa relação entre UnB e a comunidade construiu caminhadas para que as práticas informativas-formativas oportunizassem  uma aproximação  concreta  dos  problemas  sociais  das comunidades,  em  áreas  menos  favorecidas, marginalizadas. .Esse legado histórico de contribuição marca também a trajetória da UnB na sua relação com a população, com estudantes e docentes.

Colega de docência e amiga de Luiza Aparecida, a professora titular do Departamento de Enfermagem, Dirce Bellezi Guilhem, a descreve como à frente do seu tempo. “Era considerada uma professora à frente do seu tempo utilizando metodologias ativas no ensino, especialmente o ensino por meio de projetos para inserção dos alunos nos campos de prática, que permitia e efetivação do vínculo ensino-serviço-comunidade. A professora Luiza marcou positivamente a vida de inúmeros estudantes de saúde e enfermagem, bem como a vida de colegas e lideranças comunitárias”.

O trabalho de extensão direto com a comunidade era uma das marcas de Luiza Aparecida. “Ela tinha uma experiência muito positiva para nós que estávamos começando na docência na UnB, tinha uma capacidade de se comunicar com as pessoas, com os colegas, lideranças comunitárias no sentido de encontrar as melhores estratégias para as demandas  que eram apresentadas. Tinha uma visão ampliada sobre tudo o que acontecia. Me tornei muito amiga, foi uma experiência maravilhosa, recebi muitas orientações ao longo da minha carreira. Tive a oportunidade de aprender muito com ela porque trabalhamos muitos anos juntas, foi uma experiência de vida por toda a vivência que ela tinha e pode compartilhar”, destacou Dirce.

Para Alexandre Bernardino, diretor da ADUnB, e filho de Luiza Aparecida, a dor da sua partida é confortada quando lembramos do legado, de uma mulher à frente do seu tempo, que desbravou caminhos profissionais, desde o Rio de Janeiro até Brasília, que viajou pelo país em representação à SESU/MEC debatendo políticas de saúde a partir da perspectiva do papel das Universidades, que imprimiu uma marca de compromisso social e que contribuiu para materializar os ideais de universidade, de pesquisa, de extensão que buscamos praticar a UnB. Um legado para a família e para todos que a conheceram.

O velório de Luiza Aparecida acontece nesta quinta-feira (8), a partir das 8h30, no Templo Ecumênico do cemitério Campo da Esperança e o sepultamento está marcado para às 11 horas.

A diretoria da ADUnB-S.Sind se solidariza com a dor dos familiares, amigos, colegas de docência e discentes, em especial nossos sentimentos ao diretor da ADUnB, professor Alexandre Bernardino.

Luiza Aparecida, presente!

Hoje e sempre!

Compartilhe: